Certo dia uma moça estava a espera de seu vôo, na sala de embarque de um Aeroporto.

Como ela deveria esperar por muitas horas resolveu comprar um livro para matar o tempo. Também  comprou um pacote de biscoitos. Sentou-se numa poltrona na sala vip do aeroporto,  para que pudesse descansar e ler em paz.

Ao seu lado sentou-se um homem. Quando ela pegou o primeiro biscoito, o homem também pegou um. Ela  se sentiu indignada, mas não disse nada.

Ela pensou: Mas que “cara de pau”. 

A cada biscoito que ela pegava, o homem também pegava um. Aquilo a deixava tão indignada que não conseguia reagir. Restava apenas um biscoito e ela pensou: O que será que o “abusado” ·vai fazer agora? 

Então o homem dividiu o biscoito ao meio, deixando a outra metade para ela. Aquilo a deixou bufando  de raiva. Ela pegou o seu livro e as suas coisas e se dirigiu ao embarque. 

Quando sentou, confortavelmente, numa poltrona, no interior do avião, olhou dentro da  bolsa, e para sua surpresa, o pacote de biscoito estava ainda intacto. 

Ela sentiu muita vergonha, pois quem estava errada era ela, e já não havia mais tempo para  pedir desculpas.

O homem dividiu os seus biscoitos sem se sentir indignado, enquanto que ela tinha ficado muito transtornada, pensando estar dividindo os dela.

Raciocine claramente! Antes de concluir observe melhor. Talvez as coisas não sejam exatamente como  você pensa!

Concentre-se no momento e pergunte a si mesmo o que seria a coisa certa a ser feita naquele momento. Prestar atenção ao que você poderia fazer lhe dá a chance de fazer o que  é certo, antes que seja tarde demais. Quando você diz algo que você não  deveria ter dito, e foi algo que feriu alguém, peça desculpas. 

Pense antes de agir, dizer ou fazer o que é certo em determinados momentos. Muitas vezes, a  ideia do que é a coisa certa vem tarde demais.

Em tempos onde é normal agir por impulso, pensemos nos nossos atos. Tudo que fazemos tem consequências, boas ou más. Que Deus sempre nos presenteie  muito amor e paciência e que possamos transmitir esses sentimentos para as outras pessoas.

                                                                                           Marcelo Ackermann