Tags

, ,

“O QUE OUÇO, ESQUEÇO. O QUE VEJO, RECORDO. O QUE FAÇO, APRENDO.” (Confúcio, IV a. )

A Aprendizagem Vivencial ocorre quando uma pessoa se envolve numa atividade,  analisa a atividade criticamente, extrai algum “insight” útil dessa  análise e  aplica seus resultados.

Ouço e Recordo
Toda a dinâmica de ensino,  até bem pouco tempo, era voltada para atividades em que o participante  colocava-se na posição de “ouvir e recordar”. O foco da aprendizagem  voltava-se para os conhecimentos dos mestres, instrutores e professores, e  os alunos tinham pouco espaço para contribuir com suas experiências. Sua  atitude era passiva.
Leio e Memorizo
Estudos dirigidos, análises de textos, instruções programadas e  avaliações baseadas em memorização ainda são usados com muito sucesso  nos meios educacionais e de treinamento empresarial. O resultado é bem  menos eficaz do que em situações em que o aprendiz se envolve  completamente no processo de aprendizagem.
Faço e Aprendo
Aprender fazendo tem sido a forma mais efetiva de ensino, apesar de pouco  difundida em escolas e empresas, devido ao contexto cultural e  organizacional estabelecidos. Quando as pessoas tem a chance de vivenciar situações-problema e  resolvê-las com os recursos que têm, verificando os resultados de suas  decisões, a reformulação de procedimentos é facilitada.  Quando aprendemos fazendo, a internalização do aprendido é duradoura, ao  contrário das duas formas citadas anteriormente.