Tags

Na semana passada, durante a semana SIPAT aqui na IENH, uma interessante palestra sobre felicidade, me motivou a escrever sobre este assunto. A felicidade é muito importante no convívio diário. Nós nos desejamos felicidades, não apenas por ocasião de aniversário, mas também de casamentos e outros momentos marcantes da vida. Nós desejamos felicidades antes de uma prova difícil ou de uma viagem. O que queremos dizer com felicidade? O que é felicidade? A realização de um antigo sonho que se torna realidade? Segurar nas mãos um botão de rosa? Estar junto à pessoas

queridas? Apreciar um pôr do sol? Divertir-se? Ter Saúde? Viver em paz na família e com outras pessoas? Ir bem no colégio? Estar satisfeito com a própria vida? Não podemos dizer exatamente o que é felicidade. Só podemos dizê-lo com comparações e exemplos. Mas uma coisa é certa: todos

querem ser felizes. Ainda não encontramos uma única pessoa que não quisesse ser feliz. Mas apesar de tudo isto e apesar de todos os votos que desejamos, a cada dia, vemos entre as pessoas frustrações, mau humor, raiva, decepções. Enfim, parece que a felicidade está cada vez mais distante de nós. Quando cumprimentamos uma pessoa e perguntamos: como vai? As respostas, em sua grande maioria, são sempre as mesmas: mais ou menos; daquele jeito; a gente vai passando; vive-se; e assim por diante. Estas respostas não soam muito felizes. E isto nos leva a concluir que a maioria das pessoas está muito indecisa sobre o que é felicidade. Acreditam na felicidade, falam em felicidade, desejam felicidade uns aos outros, mas em verdade não se sentem felizes. Continuam a viver e a trabalhar, alegram-se um pouco, esquentam a cabeça de vez em quando, e alegram-se por cada dia da

vida que recebem. Só isto. Mas eu me pergunto, com toda a sinceridade: será que vale a pena viver apenas por isto? A vida nos quer oferecer muito mais. Deus nos quer oferecer muito mais. O desejo mais profundo de Deus é que todos e todas sejam felizes. Ele proporciona a todas as pessoas chances e oportunidades para serem felizes até mesmo para repartir a felicidade e assim contagiar outras pessoas. Estas chances e oportunidades devem ser reconhecidas e aproveitadas. Mas alguém agora poderia perguntar: como posso

fazer para ser feliz? Não existem receitas definitivas e comprovadas. Mas existem algumas sugestões, algumas pequenas dicas que nos ajudam na busca da felicidade: Manter os olhos abertos para as belezas da vida. Alegrar-se com elas. A vida é bela e vale a pena viver. As belezas da vida muitas vezes não caem em vista, mas estão aí, ao nosso redor: uma flor que começa a desabrochar, o sorriso de uma criança a brincar feliz, árvores esbeltas a nos proteger do sol, o nascer do sol. Sair da rotina. Não deixar

que a vida se transforme sempre na mesma coisa. A gente, às vezes, precisa arrumar um programa diferente. Alegrar outras pessoas. Só é realmente feliz aquele que reparte a sua felicidade com as pessoas com as quais convive. E quem alegra outros sempre se alegra. A felicidade é contagiante.

A fé contribui muito para a felicidade. Aquele que sabe que está sendo protegido e abençoado por Deus, e reconhece isto, este tem motivo para ser feliz. Em resumo, poderíamos dizer: a felicidade está mais perto do que imaginamos, desde que saibamos ver e usar as possibilidades e oportunidades que Deus nos oferece, diariamente, para sermos felizes. A felicidade depende

muito mais de nós mesmos do que de outros fatores. Uma FELIZ semana a todas

e todos! Marcelo Ackermann.